DESTACADO

Vai nu!

No verão de 2007, os membros da Lush tiveram um dia muito atrevido a sensibilizar para as embalagens excessivas dos produtos - foram despidos!

No dia 12 de julho, ao meio-dia em ponto e por 55 cidades do Reino Unido, as equipas Lush foram às ruas para sensibilizar sobre a crise ambiental causada pelas embalagens excessivas nos produtos. Foi apenas nos últimos anos que as pessoas se tornaram mais conscientes desta questão e que realmente começaram a levar a reciclagem a sério. Na altura, foi um movimento corajoso... e ousado.

A sustentabilidade tem estado sempre no coração da Lush, e os media pareciam recusar ouvir a crescente crise ambiental. Indo nus, como muitos produtos Lush, os membros da Lush conseguiram a sua atenção.

Durante a campanha, o fundador da Lush, Mark Constantine, disse: “As embalagens são lixo e por muito tempo tivemos que sofrer as suas quantidades excessivas; agora que os verdadeiros custos financeiros e ambientais se começam a tornar óbvios, os clientes estão a desafiar os fabricantes e comerciantes a cortar no plástico. Empresas como a nossa precisam pensar fora da caixa e apresentar aos clientes inovações que lhes permitam comprar produtos verdadeiramente nus”.

Em 2006, as embalagens foram responsáveis por 2% dos gases de efeito estufa, e a fabricação de plásticos usou 8% dos recursos de petróleo do mundo. Só o Reino Unido produziu 10 milhões de toneladas de resíduos de embalagens, metade dos quais foram para aterros. É fácil ver o porquê disto se ter tornando um grande problema!

Contudo, a Lush conseguiu poupar 3 milhões de garrafas plásticas de serem fabricadas, transportadas e descartadas em 2006: os clientes compraram barras de champô sólido, em vez de líquido e engarrafado.

O staff da Lush, vestido com nada além de aventais (!) impressos com "pergunta-me porque estou nu", distribuiu panfletos, e falou com a imprensa e o público sobre as embalagens de produtos e a contribuição do seu excesso para a crise ambiental. Explicou como comprando apenas produtos não embalados e mantendo-os sem embalagem sempre que possível, a Lush poderia ajudar a impedir um desastre ambiental iminente.

Os membros também esclareceram à imprensa e ao público presente o facto de poderem deixar os excessos de embalagens nas caixas de pagamento das lojas, solicitando a disponibilização de produtos não embalados e até mesmo informar os comerciantes aos standards comerciais, para pedir que estes tomem providências contra os produtos ofensivos sob a lei relativa às normas de embalagem de 2003 - 'Packaging (Essential Requirements) Regulations' - que estabelece que o peso e o volume da embalagem devem ser mantidos no mínimo necessário; consciencializando os comerciantes de que os clientes estão preocupados com o excesso de produtos embalados.

A campanha coincidiu com a exibição de um programa na televisão, apresentado por Mark Constantine chamado ‘The Insider: Packaging is Rubbish’ (embalagens são lixo).

Atualmente 65% dos produtos Lush são completamente livres de embalagem, despidos, nus!

Comentários (0)
0 Comentários