DESTACADO

A poética cera de candelila

A suavizante cera de candelila possui uma textura rica e amanteigada que protege e hidrata a pele e cabelo. Uma alternativa popular vegan à cera de abelha, vais descobrir que é usada como emulsionante em cremes e loções, onde ajuda a ligar ingredientes e a dar textura. 

 

Numa zona remota do México, a algumas horas de carro de Monterrey, os agricultores estão ocupados a colher o arbusto. A candelila (Euphorbia cerficera), uma planta que cresce em condições semiáridas do deserto Chihuahuan, produz uma substância cerosa que pode ser usada como um excelente substituto à cera de abelha em cosméticos e produtos capilares.

Com um histórico de colheita excessiva de candelila, os agricultores precisam de uma permissão para colher a planta protegida, por forma a garantir a sua sustentabilidade. Antes deste processo, cada área específica é analisada e monitorizada para garantir que o processo não é prejudicial ao ecossistema local, e também que é feito de forma sustentável. A produção desta cera representa agora cerca de um décimo do que era no seu pico, nos anos 40. Não só existem regulamentações para prevenir a colheita excessiva, como também existem medidas de conservação e de reflorestação, para replantar e recultivar a candelila.

A colheita de candelila já é feita há cerca de 100 anos, sendo que o processo pouco mudou durante este tempo. É crucial proporcionar educação aos agricultores de candelila e à geração mais nova, para cuidarem das suas terras e na prática de técnicas de colheita segura, não só pelas espécies de candelila e pelo habitat local rico, como também pelas pessoas e comunidades dependentes deste recurso natural.

Um dos maiores problemas em torno destas comunidades rurais, é o abandono das atividades agrícolas. Este problema tem sido abordado através de uma organização denominada Candelila Institute, que trabalha para unir académicos, empresas, governo e também comunidades produtoras de candelila. O seu objetivo é, não só melhorar as condições sociais, económicas e ambientais da região, como também desenvolver novas formas de usar candelila para outros propósitos e aperfeiçoar os sistemas atualmente em vigor.

Durante o processo de colheita, o agricultor nunca leva mais de 60% da planta, para que esta tenha força suficiente para regenerar. Antigamente, as folhas de candelila eram cortadas ao invés de puxadas da raiz, o que significava que a planta não crescia mais e acabava por morrer.

A cera bruta (chamada cerote) é extraída após a colheita ser levada até à área de processamento na vila local. É depois transportada para a fábrica perto de Monterrey, onde é filtrada e processada para produzir a cera que a Lush compra. Cerca de 220kg de candelila produzem aproximadamente 7kgs de cera bruta, o que demonstra o quão são importantes as técnicas sustentáveis e as práticas de reflorestação para as espécies.

A cera fornece um valioso e regular rendimento, bem como um trabalho estável para as pessoas das zonas remotas e rurais do deserto de Chihuahuan. A candelila não é o único recurso valioso para as pessoas destas áreas. Quando as percentagens de colheita são reduzidas durante a estação das chuvas, outras plantas do deserto, como a agave lechuquila e o orégão, podem ser fontes de rendimento alternativas.

Comentários (0)
0 Comentários