DESTACADO

Henna: uma alternativa segura às tintas sintéticas

Só no Reino Unido, as tintas químicas são usadas 100 milhões de vezes por ano, sendo que 60% destas aplicações ocorrem em casa. Mais de um terço das mulheres e um em cada 10 homens pintam regularmente o cabelo, e anualmente, são feitos 45 milhões de aplicações de tinta em cabeleireiros.

A companhia de estudos de mercado Mintel estima que as vendas domésticas de tintas para o cabelo rondam os 360 milhões de euros por ano, tendo em conta que as drogarias e supermercados vendem pelo menos 50 milhões de embalagens cada ano.

A Comissão Europeia estima que entre uma em 50 e uma em 100 pessoas que usam tintas para o cabelo, sofrem de reação alérgica, e dados da Allergy UK mostram que o número de pessoas que sofrem destas reações triplicou nos últimos 20 anos. Isto deve-se, em parte, ao facto de estarmos a pintar o cabelo com mais frequência e também porque os kits de coloração são mais baratos, mais fáceis de usar e mais eficazes que nunca.

"Quando usas uma tinta sintética, abres  a cutícula do cabelo que é a camada exterior que dá brilho", diz o fundador da Lush e tricologista Mark Constantine. "A tinta entra dentro do cabelo e muda a tua cor natural, e depois o corante sintético dilata dentro do teu cabelo. Este mesmo corante penetra a tua pele e entra no teu sistema sanguíneo."

A henna, por outro lado, simplesmente dá cor à parte exterior de cada fio de cabelo individualmente e vai desvanecendo ao longo de seis meses.

"As tintas permanentes é que são o problema," diz o Dr. White do St John's Institute of Dermatology. Ele explica: "É inquietante que as tintas sintéticas tenham o aviso "pode causar reação alérgica severa". Não é um aviso que se deva pôr num produto seguro!"

Mesmo colorações de cabelo que dizem ser "naturais" podem conter químicos que desencadeiam reações alércas, e por isso é que a Allergy UK diz ue a henna e as tintas vegetais são as opções mais seguras. Certifica-te só que evitas a chamada  "henna preta". Esta é usada por vezes para criar tatauagens de henna temporárias e é na verdade um corante de cabelo sint
etico chamado para-fenilenediamina (OPPD), que pode cuasar reações alérgicas severas.

"A henna genuína (sem ter sido adulterada por fenilendiaminas) é segura", diz o Dr. White. "Infelizmente, muitos 'produtos de henna' (até alguns ditos naturais) contêm tintas químicas permanentes."

Não vais encontrar tintas sintéticas à venda na Lush, pois a henna natural é uma alternativa segura e eficaz que é melhor para o teu cabelo e para o teu corpo. A henna é uma planta nativa do Médio Oriente, que é usada há milhares de anos para colorir o corpo e cabelo.

Testa antes de aplicares

Um teste de sensibilidade antes de usares a henna vai assegurar que não há alergias ao lawsone, que é o pigmento vermelho-alaranjado presente nas folhas da planta da henna. Basta aplicares uma pequena quantidade da mistura de henna na tua pele e esperar pelo menos uma hora.

Apesar das reações alérgicas à henna serem muito raras, os seus sintomas são bastante suaves - comichão na cabeça e couro cabeludo. As reações alérgicas ao PPD (para-fenilendiamina) - presente em tintas sintéticas e henna adulterada - podem incluir vermelhidão, ardor, comichão e irritação no couro cabeludo, rosto e pescoço.

Desde 2011, a lei da UE requer que os produtores coloquem avisos nas embalagens de tintas para o cabelo, alertado os consumidores do risco de reação alérgica e recomendando um teste de sensibilidade antes de cada aplicação.

Contudo, o Dr. White acredita que estes avisos não são suficientes. 

Os mesmos riscos aplicam-se às tintas usadas em cabeleireiros, embora alguns estabelecimentos de alta reputação insistam em realizar um teste de sensibilidade antes da cor ser aplicada ao cabelo. É uma precaução bastante sensata, mas é normalmente apenas tomada na primeira vez que a tinta é usada. Isto é um problemático dado que é inteiramente possível sofrer uma reação severa a uma tinta que já tenha sido usada várias vezes, mesmo se nunca tiveste problemas no passado. Mais ainda, os resultados destes testes de sensibilidade não são conclusivos a não ser quando são realizados em ambiente clínico especializado. 

O Dr. White explica: "O teste com a tinta de cabelo pode detetar indivíduos com alergias demarcadas e severas mas não há evidências que alergias mais brandas sejam detetadas seguindo os procedimentos de teste recomendados pelo produtor."

Enquanto a maioria das reações não são graves, mesmo uma reação branda aumenta o risco de desenvolver uma reação mais severa no futuro, por isso é aconselhável evitar tintas sintéticas se alguma vez experienciaste algum tipo de irritação ou alergia. 

A Allergy UK diz que as tintas para cabelo sintéticas contêm tantos químicos diferentes que praticamente qualquer um deles pode desencadear uma reação alérgica. No entanto, assume-se que o principal suspeito é a para-fenilendiamina (PPD), a qual a European Scientific Committee On Consumer Products acredita ser responsável por 80% das reações alérgicas. 

PPD é um composto orgânico que é usado em quase todas as tintas permanenentes e semi-permanentes para fixar o corante, para que não saia com a lavagem. É encontrado em maiores concentrações em tons castanho-escuros ou pretos e é actualmente o modo mais eficaz conhecido para cobrir cabelos brancos. Numa tentativa de tornar as tintas para cabelo mais seguras, outros químicos têm sido usados como alternativas, incluindo a para-aminodefenilamina (PADA), a paratoulenediamina (PTDA) e 3-nitro-p-hidroxietilaminofenol, que são geralmente encontrados em tintas de tom mais claro ou avermelhando. Contudo, estes podem também causar reações, o que significa que não necessariamente seguros - apenas mais seguros. 

O Dr. White diz: "Se quer permanecer seguro, não as use."

Henna Lush

Caso não estejas familiarizado com ela, a henna é uma planta nativa do Médio Oriente, que tem sido usada há milhares de anos para colorir pele e cabelo. Os blocos de henna da Lush são feitos com a melhor henna da Pérsia e completamente livres de tintas e corantes sintéticos. São feitas com as folhas secas da planta de henna que são pulverizadas, misturadas com manteiga de cacau orgânica de comércio justo e moldadas em blocos. Outros ingredientes naturais são adicionados para formar os diferentes tons: Brun, Marron, Noir e Rouge.

Brun contém indigo e uma pitada de café moido para criar um tom castanho chocolate profundo; Marron contém café moido e sumo de limão para criar uma cor castanho-avelã brilhante cheia de tons outonais; Noir está repleta de indigo para um efeito gloss preto-azulado; e a Rouge contém sumo de limão para um tom final vermelho vibrante. 

Para além de colorir, a henna da Lush também funciona como um tratamento profundamente condicionante devido à manteiga de cacau e aos óleos essenciais que deixam o cabelo brilhante e perfumado. Estes ingredientes ajudam a revestir o cabelo com uma camada protetora de cor natural, dão corpo e eliminam a estática. Vais ficar com uma cor brilhante e saudável, sem os químicos assustadores.

Só no Reino Unido, as tintas químicas são usadas 100 milhões de vezes por ano, sendo que 60% destas aplicações ocorrem em casa.

Comentários (0)
0 Comentários
Conteúdo relacionado (0)

Produtos relacionados

0 artigos